1 – Utilize o pixel de acompanhamento para rastrear o comportamento de conversão

O maior recurso de otimização de campanhas no Facebook com certeza é o pixel de acompanhamento. É através do pixel que você vai identificar quais anúncios da campanha obtêm melhores resultados.

O pixel de acompanhamento identifica quais os melhores anúncios e faz ajustes para exibir o anúncio a um público com maiores chances de converter.

Exemplo:

Se uma campanha tem três anúncios um para cada prato em promoção. Ambos atraem grande tráfego, mas somente um dos anúncios efetivamente converte em mais reservas para o restaurante, não faz sentido exibir os demais anúncios ou continuar exibindo para o mesmo público. Então através do registro do comportamento do público que converteu o Facebook otimiza a exibição dos anúncios para um público com maiores chances de converter em mais reservas.

Isso só é possível fazer com a implementação do pixel de acompanhamento no site. São duas etapas necessárias. Uma onde o pixel é implementado no cabeçalho de todas as páginas do site e um outro código onde o comportamento de conversão acontece. O envio do formulário de solicitação de reserva pode ser um evento onde esse código de registro de conversão deve ser implementado.

Existem diversos outros comportamentos que podem ser acompanhados pelo pixel. Uma dica é você conversar com um desenvolvedor web para visualizar todas as possibilidades de eventos que podem servir para rastrear um comportamento importante para o site do restaurante.

Quer saber mais sobre o pixel de acompanhamento?

2 – Nem tudo acaba no Facebook. Utilize urls de rastreamento de campanhas

Ok… você atraiu tráfego e gerou conversões, mas qual o comportamento desses usuários que converteram no site? Quais páginas de conteúdo eles visualizaram antes de finalizar a solicitação de uma reserva? Quais páginas de pratos mais participaram dessa decisão? Como uma campanha pode conter diversos anúncios temos que utilizar algum recurso que possibilita isolar grupos de usuários por anúncio para fazermos análises mais profundas do comportamento de navegação desses usuários. Esse recurso são as variáveis utm’s do Google Analytics.

Com essas utm’s você pode criar urls personalizadas para cada campanha, anúncio, origem e mídia e assim você consegue utilizar essas URLs na criação dos anúncios no Facebook.

O Google possui uma ferramenta gratuita que facilita a criação dessas urls. Acesse aqui.

3 – Entre o clique no anúncio e a conversão existe um universo de interação

Como eu comentei anteriormente, com o Google Analytics você consegue analisar e identificar quais conteúdos participam da navegação dos usuários até a conversão.

Sabendo disso é importante produzirmos conteúdos relevantes e que estimulem a decisão dos usuários em fazer uma reserva.

4 – Teste A/B para descobrir quais segmentações atraem mais clientes para o restaurante

Já comentei nas dicas acima a importância de identificar quais anúncios geraram melhores resultados. O Facebook possui uma funcionalidade dedicada a testes A/B.

Uma grande vantagem no teste A/B é a possibilidade de definir dois públicos para o mesmo anúncio e assim identificar qual o que gera melhores resultados.

Exemplo de campanha com teste A/B

Imagine uma campanha com um cupom promocional de 15% de desconto para a pessoa que levar alguém para um jantar. Você poderia definir dois públicos para identificar qual o que gera melhores resultados. Um público definido com o gênero feminino e outro com o gênero masculino. Um público com com uma faixa etária dos 25-34 anos e outro com a faixa etária dos 35-44 anos. Poderia também fazer outro teste com gênero e faixa etária. No final do teste o Facebook envia um relatório detalhada dos resultados. Com esses dados em mãos você consegue ser muito mais assertivo nas próximas campanhas.

Quer saber mais sobre Testes A/B?

5 – Utilize a análise de comportamento para produzir imagens com maior envolvimento

Uma ferramenta muito útil na otimização de campanhas é o monitoramento de redes sociais. Existem ferramentas específicas para esse tipo de análise. Com uma ferramenta de monitoramento você pode por exemplo coletar itens (posts por exemplo) que contenham determinada hashtag na descrição. Uma foto no Instagram que contenha a hashtag #foodporn poderia ser coletada por uma ferramenta de monitoramento de redes sociais. Qual a vantagem disso? pensando em um único post não é relevante mas pensando em milhares de post se torna uma poderosa ferramenta de análise de comportamento.

Faça o Download Gratuito do eBook
10 Super Dicas para Atrair mais Tráfego Qualificado para o seu Restaurante
Preencha com o seu email para fazer o download

Imagine que você coletou 1000 posts contendo a hashtag #foodporn – com uma ferramenta de monitoramento você vai conseguir identificar quais os horários de maior pico de publicação e assim definir o melhor horário quando for publicar um conteúdo relacionado. Dia da semana também é outro informação importante que você consegue identificar com uma ferramenta de monitoramento.

Mas a maior funcionalidade é o uso de tags (etiquetas) que você pode aplicar nos itens monitorados (coletados). Essa tags podem ser aplicadas manualmente item a item e automaticamente através de regras de automação.

Outro exemplo:

Imagine que você coletou 1000 itens contendo a hashtag #foodporn. Agora seria interessante você identificar como essas fotos foram tiradas. Se foram utilizadas em um jantar em restaurantes, ou numa mesa bem organizada em casa, se junto aos pratos as pessoas colocaram uma taça de vinho ou não. Você pode criar tags para cada um desses comportamentos e aplicar nos itens monitorados. Depois de aplicar as tags você pode verificar o volume de itens por tag e identificar quais os comportamentos mais replicados entre as pessoas. Por que isso é importante? Por que você vai saber qual o comportamento que gera maior simpatia com o público e assim produzir imagens que geram maior engajamento e envolvimento. Também vai conseguir cruzar os melhores horários e dias da semana por comportamento. As possibilidades são diversas.

Você pode estar se perguntando o por que o monitoramento utilizei um monitorando no Instagram em vez do Facebook?! Primeiro é por que o Facebook tem certas restrições de monitoramento de publicações, por mais que o usuário deixe a publicação em modo público leis americanas restringem ferramentas de monitoramento. Segundo é que o Instagram é uma rede social onde o principal uso é compartilhar coisas que as pessoas realmente acham legal. Como nosso objetivo é identificar quais os comportamentos mais legais para produzir as imagens para as campanhas do restaurante o Instagram acaba sendo uma ótima fonte de análise.

6 – Utilize o Público semelhante para atrair novos usuários com o comportamento semelhante aos usuários que já converteram nas campanhas

Ok, você já implementou o pixel de conversão, já fez campanhas e já está obtendo resultados. Agora você pode criar públicos semelhantes. Como isso funciona? O Facebook pega aqueles usuários que converteram e analisa eles, e a partir disso começa a exibir os anúncios para um público com comportamento e dados demográficos semelhantes aumentando muito a chance de atrair usuários que têm maior probabilidade de converter.

O Facebook pode criar o público semelhante a partir de dados do pixel, dados de aplicativo móvel ou fãs da página. Um ponto muito importante é a qualidade dos dados de origem para criar o público semelhante. Procure sempre criar públicos a partir dos melhores clientes, aqueles que converteram e geraram mais retorno. Usar de forma geral todas as conversações não vai gerar melhores resultados. Foque nos melhores resultados.

Quer saber mais sobre o Público Semelhante?

7 – Não se esqueça… O Facebook é parte da jornada… Não esqueça dos outros canais

Se existe algo que mais procuro difundir entre meus clientes é a necessidade de se entender a jornada multicanal de compra on-line. Se você não ter em mente que todos os usuários na internet percorrem um caminho até decidir comprar algo então toda a sua estratégia está fora de sincronia com a necessidade do usuário. Lembre-se que a necessidade vai muito além da compra!

Um usuário indeciso em relação a qual restaurante jantar ou qual prato experimentar é um bom exemplo do que estou falando. As dúvidas respondidas são as primeiras necessidades de um usuário, e elas antecedem a compra. E essas dúvidas podem ser respondidas em diversos canais ou até mesmo se complementarem. Um exemplo é o reforço na credibilidade que o restaurante ganha quando um usuário pesquisando dicas de restaurantes decidi visitar a fanpage do restaurante e visualiza avaliações positivas de outras clientes.

Essas dúvidas, necessidades de respostas e informações que vão aumentar o interesse do usuário pelo seu restaurante ao invés do restaurante concorrente compõe uma jornada que inicia pelo reconhecimento de marcas (restaurantes), passando pela consideração da marca frente a outras e finaliza pela decisão. Chamamos essas etapas ou momentos de jornada multicanal de compra on-line. Por que multicanal? Por que o usuário passa por vários canais antes da decisão, tais como: Facebook, Busca Orgânica, Publicidade paga no Google, Blogs, YouTube, etc. Cada canal tem papel importante nessa jornada.

Um usuário não decide por uma marca (restaurante) que não considera frente a outras marcas, assim como um usuário não considera uma marca frente a outras que ele não reconhece… E por fim um usuário não reconhece uma marca que não tem presença digital nos diversos canais.

Gostou do conteúdo? Assine a nossa Newsletter

Receba conteúdos de marketing digital mensalmente em seu email

Preencha o formulário para assinar a newsletter
* Campos Obrigatórios

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *