É parte vital de um estratégia de SEO a implementação de diversas ferramentas que auxiliam na otimização. Muitas dessas ferramentas são disponibilizadas pelo próprio Google para auxiliar os profissionais de marketing digital. Essa mesmas ferramentas possuem funcionalidade extras que precisam ser configuradas após a sua implementação.

Esse post tem como objetivo listar 15 dicas de implementações técnicas para otimização de sites. São dicas que podem ser implementadas em sites de qualquer tipo de negócio, seja ele restaurantes, academias, varejo online, etc.


Você está procurando uma consultoria em SEO? Por favor clique [ aqui ]

1 – Verificar se o código de acompanhamento do Google Analytics está implementado de forma correta em todas as páginas do site

Verificar se o código de acompanhamento do Google Analytics está implementado de forma correta em todas as páginas do site

O Google Analytics registra o tráfego e comportamento de navegação através de um snippet de código em JavaScript. Esse código deve ser implementado em todas as páginas que devem ser acompanhadas. Esse código é implementado sempre logo após a tag de abertura head de cada página do site.


Você quer saber O que é uma consultoria em SEO? Clique [ aqui ] para saber mais.

Verificar os Relatórios de tempo real

A verificação em tempo real também é outra forma de verificar se o Google Analytics está coletando os dados de navegação.

Nesse relatório você também consegue verificar a atividade de páginas específicas.

2 – Verificar se o Google Search Console está implementado e integrado com o Google Analytics

Verificar se o Google Search Console está implementado e integrado com o Google Analytics

O Google Search Console é um ótima ferramenta para as estratégias de SEO. Você consegue ter acesso a diversos dados importantes para monitoramento do posicionamento das páginas do site nos resultados orgânicos.

É através da verificação que você comprova a propriedade do site ou aplicativo e passa a ter acesso aos dados de pesquisa do Google.

Existem diversas formas de verificação: upload de um arquivo especial na raiz do site, inclusão de uma meta tag no html do site, entre outros. Mas através de uma conta ativa do Google Analytics no mesmo site você pode automaticamente confirmar a propriedade quando criar a conta no Google Search Console.

3 – Verificar se eventos importantes estão trackeados para acompanhamento no Google Analytics

Verificar se eventos importantes estão trackeados para acompanhamento no Google Analytics

Com o uso de eventos é possível coletar dados de interação dos usuários com o conteúdo do site. Downloads, cliques em botões de formulário, preenchimento de um campo específico do formulário, cliques em anúncios para dispositivos móveis, reproduções de vídeo são exemplos de ações que convém analisar como eventos.

De forma geral um evento tem a seguinte estrutura: Categoria, Ação, Rótulo (opcional, mas recomendado), Valor (opcional).

Esses dados são enviados ao Google Analytics através de um código em JavaScript.

Após a implementação você pode verificar se os eventos estão sendo coletados visualizando o relatório de Comportamento acessando Eventos.

4 – Verificar se a estrutura de links permanentes está de acordo com a estratégia de SEO

Verificar se a estrutura de links permanentes está de acordo com a estratégia de SEO

A estrutura da url tem grande impacto na otimização para mecanismos de busca. Links amigáveis tornam o resultado mais relevante por isso o uso de links permanentes é importante.

Algumas plataformas de CMS como o WordPress por exemplo possuem a opção de definir qual a melhor estrutura de link permanente utilizar no site. Se você não utiliza uma plataforma como WordPress consulte seu desenvolvedor e veja como utilizar links amigáveis para o seu site.

5 – Verificar se a página de erro 404 está otimizada para reduzir a taxa de rejeição

Verificar se a página de erro 404 está otimizada para reduzir a taxa de rejeição

A página de erro 404 é muito importante para as estratégias de SEO. Pode acontecer por motivos diversos de uma página ficar indisponível no site. Mudança da categoria original por exemplo pode alterar a estrutura da url e usuários que chegarem ao site através dessas urls podem cair em uma página de erro 404.

O ideal é estruturar a página do erro 404 para que ela fique o mais amigável possível para o usuário. Uma mensagem informando que por algum motivo a url original não está disponível e sugerir meios para que o usuário chegue a um conteúdo relevante é a melhor estratégia.

Então além de disponibilizar conteúdos de maior visualização no site é indicado disponibilizar uma barra de pesquisa para o usuário fazer buscas relacionadas a que ele fez antes de chegar ao site.

6 – Verificar se o site possui links quebrados e fazer novos redirecionamentos

Verificar se o site possui links quebrados e fazer novos redirecionamentos

Através do Google Search Console você consegue verificar se existem urls que se tornaram indisponíveis após indexação. Você pode corrigir isso de duas maneiras: recriando a url original ou fazendo um redirecionamento 301 para uma nova página que contenha o conteúdo original.

7 – Verificar se a moderação de comentários do blog está ativa para não prejudicar o site com spams

Verificar se a moderação de comentários do blog está ativa para não prejudicar o site com spams

É comum spamers utilizarem caixas de comentários do blog para distribuir urls que podem pôr em risco a navegação dos usuários do seu site. Por isso é importante que o seu site possua a funcionalidade de moderar os comentários antes deles serem disponibilizados.

O WordPress já vem com esse recurso disponível. Caso seu site não seja desenvolvido em WordPress consulte o seu desenvolvedor e veja como ativar a funcionalidade de moderação de comentários do seu site.

8 – Verificar se o site está com a velocidade de acesso adequada com o uso do Google PageSpeed

Verificar se o site está com a velocidade de acesso adequada com o uso do Google PageSpeed

A velocidade de carregamento do site é um fator muito importante para a experiência de navegação do usuário e tem forte impacto na experiência de acesso ao site através dos resultados orgânicos.

Para reduzir o tempo de carregamento é necessário avaliar e otimizar diversos pontos técnicos do site. O Google PageSpeed é uma ótima ferramenta que aponta diversas melhorias que podem ser aplicadas no site e reduzir a velocidade de carregamento.

9 – Verificar se o campo de pesquisa interno do site está sendo monitorado pelo Google Analytics

Verificar se o campo de pesquisa interno do site está sendo monitorado pelo Google Analytics

Essa dica pode auxiliar muito a reduzir a taxa de rejeição do site. É raro ter uma taxa de rejeição zero para todas as páginas de entrada do site. Nem sempre o conteúdo de destino é o esperado pelo usuário, então sugerir outros conteúdos é importante para o usuário, mas uma funcionalidade extra pode ajudar ainda mais nesse momento de decepção (rsrsrs).

Ok, você implementou o campo de busca, mas e agora? Será que ele está entregando o que o usuário está procurando? Você pode configurar o Google Analytics para coletar dados de busca e comportamento dessas buscas! Isso vai dar grandes insights de conteúdos que merecem maior destaque e trabalho para otimização, além de pautar conteúdos novos.

10 – Verificar se as páginas de conteúdo estão com dados estruturados implementados

Verificar se as páginas de conteúdo estão com dados estruturados implementados

Essa dica é muito legal e gera grandes resultados em tráfego orgânico. O Google usa dados estruturados para entender o conteúdo da página. Você pode auxiliar o Google fornecendo informações específicas sobre seu site, como dados da empresa, artigos, etc., o que pode ajudar o site a ser exibido em recursos mais avançados nos resultados da pesquisa gerando grande resultados de tráfego.

A utilização de dados estruturados pode ser através do uso de códigos em JSON além de outras estruturas de dados ou utilizando o marcador de dados estruturados do Google Search Console.

11 – O uso de breadcrumbs para facilitar a experiência de navegação dos usuários

O uso de breadcrumbs para facilitar a experiência de navegação dos usuários

Os breadcrumbs são caminhos de navegação conhecidos como migalhas de pão. Eles auxiliam o usuário a ter uma visão de qual caminho ele percorreu até chegar ao conteúdo atual. Facilita para usuário retornar a um ponto da navegação de forma direta. Tem grande impacto nos resultados orgânicos uma vez que são exibidos direto no snippet de resultados da pesquisa tornando o resultado mais rico em detalhes.

Existem algumas formas de informar o Google da existência dos breadcrumbs. HTML bem estruturado e uso de dados estruturados podem auxiliar.

12 – Utilizando sitemap.xml para enviar urls automaticamente para o Google

Utilizando sitemap.xml para enviar urls automaticamente para o Google

Os sitemaps são arquivos em xml que enviam informações das páginas do site, tais como: vídeos, arquivos e as relações entre essas urls. Você pode enviar o sitemap para o Google Search Console e assim sempre que uma nova página de conteúdo for publicada ela ser enviada automaticamente para o Google Search Console.

13 – SSL e HTTPS para tornar a navegação mais segura para os usuários

SSL e HTTPS para tornar a navegação mais segura para os usuários

O uso de um certificado SSL possibilita aos usuários que navegam no seu site um experiência mais segura. Os navegadores mais modernos como o Chrome já exibem um site como não seguro quando o mesmo não possui um acesso HTTPS para os usuários. Nos resultados de pesquisa os sites que possuem SSL são exibidos com o https no início da url demonstrando para os usuários que o site é seguro para navegação. Isso tem grande impacto no volume de tráfego orgânico.

14 – Atributos de imagem preenchidos para atrair tráfego pelo buscador de imagens do Google

Atributos de imagem preenchidos para atrair tráfego pelo buscador de imagens do Google

Sempre que você disponibilizar imagens nos seus conteúdos é importante preencher os atributos alt e name além da legenda das imagens de forma correta. O Google possui uma busca de imagens e ter os atributos e legendas de imagens preenchidos pensando nas palavras-chave podem atrair grande tráfego orgânico para o site. O Google dá mais dicas aqui de como tornar suas imagens mais relevantes para a busca do Google.

15 – Tornar o amigável em diferentes displays com responsividade

Tornar o amigável em diferentes displays com responsividade

A responsividade tem grande impacto na experiência do usuário e isso afeta drasticamente na taxa de rejeição do site. Tem um site responsivo é vital para uma estratégia de SEO. Muitas pesquisas apontam que a navegação mobile já é a principal utilizada pelos usuários. Os smartphones tornaram-se o principal display de navegação. Além da responsividade o Google incentiva a implementação do protocolo AMP para renderização e acesso extremamente rápido aos conteúdos.

Qualquer outra dúvida pode entrar em contato diretamente comigo pelo e-mail [email protected] ou pelo Skype thiago.blauth.ferreira_1

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *